Castro Alves - Os Escravos - 17 - Frades




Castro Alves - Os Escravos - 17 - Frades


Mel in ore, verba lactis,

Fel in corde, fraus in factis.


Mas a mão que assim tece o linho aos pés da Glória?

Como Hércules também esmaga a hidra...

E depois de aspergir o tum'lo dos heróis

Pega de Juvenal na vergasta feroz

E os monges hodiernos açoita sem piedade

Como o Divino Mestre o fez na antiguidade!...


Os Escravos é uma coleção de poemas do escritor brasileiro Castro Alves com temática centrada no drama da exploração dos escravos. Em função de sua renhida luta pelo fim da escravidão no Brasil, este poeta ficou conhecido como Poeta dos Escravos. Este volume, publicado postumamente em 1883, recolhe muitos dos poemas que tornaram Castro Alves um símbolo da luta dos que não tem voz, como lembra Pablo Neruda em poema dedicado a Alves: em portas até então fechadas para que, combatendo, a liberdade entrasse.



 Castro Alves - Os Escravos - 17 - Frades

Conteúdo correspondente: